Só um dia ruim?

É como uma grande montanha de entulho e alguém joga uma pedrinha lá em cima e tudo desmorona. Meu dia foi parecido com isso, mas para ficar igual seria preciso trocar o entulho por um monte de merda. Agora imagine tudo caindo em cima de mim.

Vou mudar a linha do tempo e começar aqui do final. Ver se começando do fim, eu consigo voltar àqueles momentos que antecederam o inicio de todas as confusões.

 

Ao chegar a casa eu precisava de uns goles. Nada muito pesado, mas só umas doses para entorpecer um pouco o corpo. Só um pouco de alivio no meio da bagunça toda. Fui ao boteco vizinho de casa e lá sou informado que por problemas com  a entrega, eles estavam sem cerveja. Perguntou se eu queria mais alguma coisa e tive que me segurar para não pedir veneno. Comprei só um refrigerante e me tranquei em casa. Ela fedia demais, pois ao tentar abrir a ultima garrafa de vinho da dispensa, acabei derrubando tudo e perdendo o precioso liquido. Tentei limpar a sujeira, mas acabou que os produtos de limpeza que usei só fizeram piorar o cheiro. Chegou ao ponto de precisar usar um pano amarrado no rosto para conseguir transitar.

Abri a geladeira e tirei de lá uma garrafa de Steinhaeger. Meu objetivo era misturá-lo na cerveja, mas na falta dela, ia ser com refrigerante mesmo. Refrigerante de Guaraná com Steinhaeger. Espero que seja efetivo.

 

A gota final para decidir o porre foi justamente a ligação da mulher que amo. Eu sei que estamos aos trancos e barrancos, mas ela é quem me encanta. Acontece que depois de uns vacilos meus a nossa relação anda balançada e nesta última ligação ela terminou tudo. Depois de tanto tempo, ela decidiu por um fim na confusão que se virou nossas vidas. Não a culpo, acho que não conseguiria isso de modo algum. Sou destas pessoas de difícil convivência e que nunca aceita estar errado. Eu sou assim e não mudo, qualquer pessoa esperta corre para bem longe quando descobre isso.

Foi tenso ela ter ligado quando eu estava saindo do trabalho. Sai mais cedo fugindo dos gritos do meu chefe. Problemas em uma planilha que já deveria ter sido enviada e centenas de pessoas teriam seus salários atrasados por conta deste descuido. Eu já estava meio balançado durante o dia, mas naquela hora em que tentei terminar a planilha, eu só queira terminar aquilo para ir embora. Não sei o que arrumei no teclado, mas no mesmo momento em que mandei salvar o trabalho, digitei um comendo errado e todos os dados foram embora. Tudo perdido. Uma semana inteira tentando finalizar aquilo e eu estraguei tudo. Uma semana tentando provar que eu merecia aquela vaga e perdi minha melhor chance.

 

Tenho certeza que estaria bem mais centrado no trabalho se por acaso minha obturação não houvesse caído durante o almoço. Eu adiava há meses ir ao dentista e o preço foi cobrado. Tava eu lá bem feliz mastigando minha carne moída e do nada soltou a obturação. Muita dor e um almoço mastigável abandonado.

 

Eu sei que você deve estar pensando que é sofrimento demais e que minhas doses são merecidas. Eu poderia contar o que em aconteceu pela manhã, mas eu preciso poupá-los de mais desgraça. Eu preciso me poupar de lembrar mais coisas. Só assim para dormir hoje. Isso e mais algumas doses. Deixem-me aqui afundando neste mundo de entorpecência que o álcool proporciona. Deixem-me catando as migalhas que me sobram de vida para dormir hoje. E façam um favor a um podre bebum: DEIXEM-me curtir a ressaca sozinho amanhã. Só isso que eu quero. Deixem-me ficar com um sofrimento que eu escolhi e não um que é resultado das minhas escolhas. Deixe cá essa velha carcaça queimar no álcool. Deixem esse cara dormir até amanhã.

Pode ser?

 

____________________________________________________________________________________________________________

jardelitoJardel Maximiliano

Nascido nas terras quentes da Zona da Mata, Jardel mudou-se várias vezes e neste período adquiriu toda sorte de experiencias e profissões.

Atualmente é Psicólogo Diplomado . Trabalha com Extensão Universitária e Cultura, além de ser conselheiro amoroso.
Canalha Sentimental por criação e membro Sócio Fundador do Manual.

Gosta de passeios à luz da lua e de fazer amor em lugares públicos e continua sendo homem para casar.

 

 

Anúncios

Eu nunca fui o Rei da Balada

Quando eu era moleque a guria mais bonita era também a mais rica. Assim posto, eu nunca poderia me aproximar dela, na verdade me ensinaram que nunca deveria romper a barreira das classes. Desta forma eu vivia sempre estas paixões platônicas pelas meninas ricas e rezava sempre para meus pais ganharem na loteria e um dia eu conseguir ter alguma oportunidade. Na época a única forma de mudar de classe era virar político ou ganhar na loteria.

Analogias

Conforme fui crescendo e tendo eu trabalhar, vi que o abismo só aumentava. Mais de uma vez eu precisava ir embora, pois muitos pais não confiavam que o rapaz do bairro pobre poderia ficar estudando, mesmo sendo ele o mais inteligente e que fora ali ajudar a filha deles com a matéria.

Mas segui a vida suspirando. Aceitando minha sina e sempre renegado a nunca ter aquelas garotas de sonho. Chega uma hora que você aceita isso e segue a vida. Mais de uma vez eu mesmo replicava o que me foi ensinado quando esnobava alguma guria do bairro por ela não ser a mais “Bonita“ e não usar as roupas e adereços da moda. Felizmente isso um dia acabou e eu vivi grandes amores em meio as que eram da minha “classe”. Aquelas meninas suportaram bastante um garoto maluco e sem noção.

Eis que passo na universidade e sou jogado em um lugar em que poderia dedicar-me aos estudos e pensar em condições melhores de vida. Os meus tempos de faculdade foram os mas difíceis e os de maior aprendizado para a vida. Aprendi bem mais do que eu poderia esperar, aprendi bem mais que uma profissão. Enfim, na universidade eu estava lado a lado com princesas, com filhinhas-de-papai. Aprendi a duras penas que não adiantava ficar me lamentando e quietinho no meu canto. Aprendi que era só ter um papo bacana, conseguir quebrar o gelo e não pisar na bola que minhas chances aumentavam em muito.

Eram tempos estranhos, Meu Irmão. Eu passava fome em casa e saia para a balada bancado pelas meninas que eu ficava. Mais de uma vez fui chamado de gigolô, mas não ligava, eu estava entrando pela porta dos fundos nas mansões que sempre me foram fechadas. Eu estava no topo do mundo e ninguém podia me derrubar.

Eu não era bonito assim.

Tenho que assumir que me livrar de algumas destas relações foi difícil. Eu ficava dependente e era difícil largar e voltar para o meu feijão com arroz suado, mas logo acabei voltando à realidade e não cedendo ao deslumbre que o vil metal havia me dado.

Hoje tenho uma vida bem tranquila, já não preciso contar tanto as moedas para sair. Já posso ser eu mesmo e me envolver em relações baseadas no amor e na atração que sinto pela outra pessoa. Estou bem mais feliz e bem mais calmo que antigamente e admito que estou até um pouco mais gordo.

Sei que este texto não pode mudar o passado, sei que com ele não apago nenhum dos meus erros e falhas, mas queria sinceramente que pelo um garoto que pensava como eu leia este texto. Quero sinceramente que este texto o faça pensar que ele não precisa ser o “Rei da Balada” ou qualquer coisa parecida. Queria dizer pra este garoto que o dinheiro só vai trazer problemas diferentes para ele e que o que o mundo vende nunca é suficiente para chegar à satisfação. Quero dizer pra este cara que o carro que ele sonha em ter, as festas em que irá, o dinheiro que ele fará tudo para ter, não irão torná-lo melhor. Eu queria dizer que este garoto pode um dia ter tanto dinheiro que ao gastá-lo parecerá ridículo. Eu quero dizer para este garoto que existe muito mais coisas que o dinheiro não compra do que ele pode imaginar e que por mais que o mundo o faça engolir isso, ele ainda deve lutar. Eu quero dizer pra este garoto que se ele for a uma balada e perder uma oportunidade porque a outra pessoa esta interessada em dinheiro, ele estará se safando de uma enrascada tremenda. Eu quero dizer pra este garoto que ele pode sim ser feliz com uns tostões no bolso e que pode ter chances com a pessoa que ele quiser. E quero dizer pro garoto que ele só precisa não ser um babaca. Com esta dica o mundo já vai ser bem melhor que qualquer camarote governado por qualquer Monarca que precisa compensar o vazio de sua alma com gastos desmedidos. Eu quero dizer pro Garoto que a batalha vencida com poucos recursos mostra que ele é um bom estrategista e que dele eu me orgulho. E se alguém tiver uma máquina do tempo por ai, me faz um favor:

Volta lá um tanto e diz isso tudo para o garoto que eu fui…

Eu era bem elegante

____________________________________________________________________________________________________________

jardelitoJardel Maximiliano

Nascido nas terras quentes da Zona da Mata, Jardel mudou-se várias vezes e neste período adquiriu toda sorte de experiencias e profissões.

Atualmente é Psicólogo Diplomado . Trabalha com Extensão Universitária e Cultura, além de ser conselheiro amoroso.
Canalha Sentimental por criação e membro Sócio Fundador do Manual.

Gosta de passeios à luz da lua e de fazer amor em lugares públicos e continua sendo homem para casar.

 

Deixa explicar o que é Amar

Não é fácil escrever sobre amor, mesmo que tantos guias e cartões digam o contrário. Por mais que vários poetas façam parecer que é a coisa mais simples do mundo, a realidade é bem diferente. Sinceramente acho que escrever melhor sobre o amor quem nunca o sentiu, afinal o amor de verdade te rouba toda a capacidade de traduzir o que se sente para o papel. Acho que só consigo escrever estas linhas por estar bem motivado, mas mesmo assim não vejo nestas linhas nada que preste.

Mas se é para falar de amor eu digo o seguinte:

O amor é para os loucos, para as pessoas que não têm medo de perder tudo.

Amar é perder suas certezas, é ir contra várias promessas que fazemos principalmente aquela de nunca se apaixonar novamente.

Amar é manter-se acordado, mesmo quando o sono está forte, para ouvi-la contando como foi seu dia.

É aprender alguns truques sexuais e até aceitar algumas estranhezas, aprendendo que entre quatro paredes vale tudo! (Ok, muitas coisas continuam sendo estranhas mesmo com o passar do tempo).

É ligar para a pessoa e saber que ouvir a voz dela vai melhorar o pior dos teus dias. E quando você ama bastante entende que é preciso ter seus momentos sozinhos para lembrar que você ainda é um sujeito, mesmo ainda querendo tanto a outra pessoa.

Quando você ama acaba mandando mais mensagens, conversando mais ao telefone e aprende que qualquer coisa pode tornar-se tudo durante uma briga.

Haverá dias em que você ficará encantado. Vai acordar mais cedo somente para admirar a pessoa dormindo. Eu chamo isso de “Vigiar seu sono”.

Amar é lutar constantemente contra o medo de te perder, Fulana. Amar é acabar tendo que em alguns momentos e assumi-lo diante de todos.

Linda, você me pediu que tirasse nosso amor da surdina e nossos beijos do escuro.

Fulana, hoje assumo que você é a mulher da minha vida, minha companheira e quem me ajuda a ser feliz. E hoje, por uma série de motivos que listei acima, posso dizer com toda a certeza e tranquilidade:

EU TE AMO!

Jardel “Bandido” Maximiliano

Pistoleiro da Madrugada

Canalha sentimental de coração vadio