Quem são as invejosas?

valesca-popozuda-beijinho-no-ombro-videoclipe-oficial-pizza-de-ontem

Sempre achei o formato das redes sociais um tanto psicótico. Pessoas falando “sozinhas”, sendo seguidas por outras, conversas que não levam a lugar algum, conectadas à rede, mas desconectadas da realidade. Tudo muito estranho… ora engraçado, ora deprimente. Um universo à parte.

É óbvio que a arquitetura destes programas acabam por definir o conteúdo dos mesmos. Uma enxurrada de spams, muitas mensagens de auto promoção, temas da moda e, claro, as indiretas. Sobre elas, as indiretas, que quero fazer uma pequena reflexão com vocês leitores e leitoras.

Antes de tudo, gostaria de pedir que atire a primeira pedra aquele que nunca enviou uma indireta por uma rede social. Seja ela do bem, do mal, neutra… que atingiu o alvo ou não. Difícil encontrar alguém, não é? Talvez seja por isso que as redes sociais tenham tanta potência, investem em pontos que são, na verdade, nossos. Claro que fortalecem alguns deles mais que outros, mas no fim das contas sempre estiveram por ali… não é nada inédito, pelo menos no conteúdo, enquanto a forma fica cada vez mais compulsiva.

“Desejo a todas inimigas vida longa / Pra que elas vejam cada dia mais nossa vitória.” Poderia ser… não sei quem, mas sim, é ela, Valeska Popozuda. O clipe dessa música[?] é uma super produção, o Senhor do Anéis do funk. E me diga, tudo aquilo para que? Para mandar uma indireta!! Eu não estou exagerando quando digo que esse tema é sério. Por todos os lados, a indústria cultural já percebeu que isso dá ibope, falar mal das invejosas e dos manés. A única coisa que não entendi até agora é: Quem são essas pessoas tão más?

“Se Deus está conosco, quem estará contra nós?” Esta sempre foi uma pergunta sem resposta para mim. Em uma lógica monoteísta isso é um pouco complicado. Sendo o mesmo Deus, o que me garante que Ele está completamente ao meu lado e totalmente contra meus inimigos? Quem disse que você é o filho preferido e está cumprindo a vontade divina? Bateu saudade de quando árvores de fogo falavam e anjos apareciam com trombetas, não é? Eu te entendo… também queria respostas.

O que eu estou levantando aqui como questionamentos é, simplesmente, qual certeza de que estamos totalmente corretos e “nossos inimigos” totalmente errados? Nenhuma! E é por isso mesmo que usamos tanto a indireta como forma de comunicação[?]. Se a certeza existisse mesmo, seria dito na cara. De forma quase oficial, direcionada, sem fogo amigo ou coisa parecida. Uma vez ou outra, vá lá… mas o que temos é uma epidemia. Tanto se espalhou que até na política [espaço da discussão pública,  aberta, clara] tem prevalecido o “dizem que falam que não sei o que”. Quando tudo fica “à boca miúda”, se tem nada de concreto, a não ser um tanto de especulações.

A questão final é: se não é falado diretamente e o objeto de nosso ódio não tem qualquer chance de se defender, o que garante que não é paranoia de quem denuncia contra si mesmo? Explico melhor, as vezes, a raiva e a crítica que direcionamos ao outro é um problema nosso e não foi nenhum mal olhado que fez nosso chefe brigar conosco, mas foi o nosso péssimo desempenho no trabalho [muitas vezes por ficar procrastinando no facebook] que não permitiu aquela tão esperada promoção, aquele tão sonhado aumento de salário. Quer dizer que não existem inimigos no mundo? Claro que existem, não estou dizendo para baixar completamente a guarda, o que proponho é uma linha a mais em nossas orações, uma linha que proponha a reflexão sobre os nossos próprios pecados, contra nós ou contra os outros.

eumanual

Marcelo Marchiori

Psicólogo clínico e social, atuou como coordenador de projetos em políticas públicas e hoje faz atendimentos clínicos e sociais.

Mineirin do interior, comunista e outras coisas obscenas… é tão barroco, mas tão barroco que a melhor frase para descrevê-lo é: “A incrível história de um homem e seu coração contraditório.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s